"A Garota Que Eu Quero" de Markus Zusak

Nome: A Garota Que Eu Quero
Autor: Markus Zusak
Trilogia: Irmãos Wolfe
Nº de Páginas: 174
Editora: Intrínseca

Para ser sincero, eu me perguntava se algum dia cehgaria a hora de Cameron Wolfe (esse sou eu) se dar bem. Imaginava um eu diferente. Era diferente porque, naqueles momentos, eu achava que realmente me tornaria um vencedor.
A verdade, porém, era dolorosa.
- Cameron, 7

A Garota Que Eu Quero de Makus Zusak é o último livro de uma trilogia chamada Os Irmãos Wolfe, você não vai achar resenha dos dois livros anteriores nesse blog até porque eu não li os dois livros anteriores. Então eu digo para vocês que não sabia que esse livro fazia parte de uma trilogia, e que li ele inteirinho até descobrir que ele era uma continuação. O que notei? Que você pode ler o livro perfeitamente sem ler os dois anteriores - mas mesmo assim tentarei lê-los e resenhá-los aqui, podendo depois mudar de opinião sobre lê-lo a parte.
Cameron Wolfe sempre foi o coitado da família. Não é o mais bonito entre seus irmãos, nem o mais inteligente, também não é o mais atlético ou o mais carismático. Ele é apenas o Cam, o coitado do perdedor do Cam; que tem que lidar com um irmão mais velho perfeitinho e outro irmão mais velho que consegue todas as garotas que quiser, e tem sua irmã - também mais velha - que adora tirar fotos. Porém um dia algo incrível parece acontecer com Cam, ele se apaixona pela namorada de seu irmão pegador, a Octavia; e parece que finalmente acha seu talento, a escrita.
Cameron sabe que o namoro de Octavia e Rube (seu irmão) não vai durar, pois nunca dura os namoros de seu irmão. Ele namora as meninas por algum tempo, depois começa a gostar de outra e da um pé na bunda da namorada atual. Sempre assim. E Cam não pode evitar de amar a Octavia, mas por que uma menina como ela gostaria de um perdedor como ele? Mas talvez Octavia não o veja dessa forma.

Eu nunca tinha visto o rosto de uma pessoa se abrir desse jeito.
De orgulho.
- Cameron, 24

Eu me apaixonei por esse livro. Cada frase era perfeita, cada fala dita pelos personagens soava com naturalidade, cada personagem parecia real e perfeito demais ao mesmo tempo. Torcia pelo Cameron, sentia dó pelo Cameron, ria dele e com ele, adora e odiava ele. Um personagem tão real, uma história tão estranha e ao mesmo tempo tão possível de existir. Cameron com cada esquisitice e eu adorava cada uma delas. Quando acabei o livro me senti sozinha e implorava por mais.
O livro é intercalado entre a história e um curto texto escrito pelo Cameron, aonde ele abusa de metáforas e mostra pelo ponto de vista estranho e lírico dele -mesmo o livro sendo narrado por ele mesmo- do capítulo anterior. Impossível não gostar.

Nada vem fácil para um ser humano como eu.
Isto não é uma queixa.
É só uma verdade.
- Cameron, 17

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou dessa postagem? Deixe seu comentário!