The angel from my nightmare



  Todos os sonhos começam do mesmo jeito. Estou vivendo meu dia chato como sempre, mas há algo diferente nesse dia. Olho para trás várias e várias vezes e a sensação de que alguém está me encarando e me seguindo persegue minha mente todos os minutos. De repente, noto que minha sensação estava 100% correta e estou correndo. Correndo como nunca corri antes, sempre olho para trás, mas não me lembro do que me assusta tanto, e só consigo ouvir meus batimentos cardíacos, batendo cada vez mais forte contra meu peito. O fôlego ficou metros atrás de mim, sei disso, minha mente diz isso para mim, mas continuo respirando ofegante.
  Caio, sempre no mesmo lugar, todos os dias, todas as noites, é sempre no mesmo lugar. Tento desviar, mas de qualquer jeito caio. E a coisa que me persegue fica a centímetros de me pegar. Seu hálito toca minha pele e minhas pálpebras se fecham tanto que parecem que vão se fundir em somente uma. Somente as lágrimas passam por elas. E quando tudo parece perdido, ele aparece. Todos os dias, no mesmo segundo. E em todas as vezes fico surpresa por ele estar lá. Por ele me salvar. Como se não merecesse sua salvação. Como se a minha última esperança fosse a morte. E, em todas as vezes, ele me dá um sorriso torto e olha para mim, os olhos escuros e cheio de segredos para alguém tão jovem. Meu coração continua acelerado, minhas pernas duras, até ele me levantar:
     - O anjo de meu pesado – eu digo e é a última coisa que digo. Todos os dias. Todas as noites. E acordo com a palavra 'anjo' ainda percorrendo meus pensamentos.

Um comentário:

O que você achou dessa postagem? Deixe seu comentário!