Você foi diagnosticada com Adolescência.

  Eu sempre vi esses adolescentes passarem por mim e sempre que isso acontecia eu pensava: como eu serei quando tiver a idade deles? Serie que tipo de garota? A nerd? A legal? A desejada? A que tem o namorado mais fofo do colégio? E conforme o tempo passava eu me fazia a mesma pergunta, a idade de eu virar aquela menina chegava, mas eu nunca achei que chegaria, era infantil, com cara de bebê, como eu me encaixaria no meio daquelas pessoas?
 O tempo voou, só isso que posso afirmar. E aqui estou, menos de um mês para entrar no Ensino Médio. Nem sei o que farei na faculdade, apenas sei que quero. Sempre quando pequena afirmava que não seria aquele tipo de pessoa que vai à festas, que ficava somente com os amigos, que esquecia da família, que nunca ficava em casa nos fins de semana, nunca quis largar minha parte criança com carinho e compreensão dos pais.
 E agora, o que posso dizer? Tenho ficado cada fez mais perto dos amigos, basta lançar um filme que corro para qualquer meio de comunicação para ver se alguma delas quer me acompanhar. Tenho ficado mais vez próxima de moda, coisa que nunca achei que ficaria viciada; sempre fui o tipo de menina que tinha somente uma jeans e com ela fazia milagres. E tem dias que me pergunto se não estou me tornando aquilo que um dia jurei que não ser.
 Claro que ainda sou uma menininha. Passo as sextas e os sábados anoite aqui em casa, vendo filmes ou na internet procurando algo. Nunca fui numa balada na vida, nem fui beijada ainda! Ainda preciso dos meus pais, mesmo que fique um pouco longe deles de vez em quando; não sei o que seria de mim sem eles, que me ajudam e me guiam. Ainda compro cadernos com desenhos, e vejo animações no cinema.
 Não sei qual dos lados ficar. Só sei que meu lado menina está ficando para trás, não porque eu queria, mas porque estou com uma doença que todo o ser humano um dia foi ou será infectado: a adolescência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou dessa postagem? Deixe seu comentário!