Primeiro dia de aula - Parte 2




















Nota: esse texto é uma continuação de Primeiro dia de aula

  Logo após Marcos sair da sala de aula o murmurinho foi inevitável. Várias meninas comentavam quem seria a pessoa, que provavelmente era uma garota - pelo menos elas torciam que fosse uma garota -, que Marcos havia comentado. Automaticamente fui me enterrando debaixo da carteira, não queria que me notassem, afinal só conseguia sentir minhas bochechas queimando, meu coração batia super forte, meu estômago revirava, temia que iria vomitar, estava pior que de manhã.
  Por minha sorte, o professor exigiu silêncio. Ele falava firme, como se estivesse lecionando faz anos e talvez estivesse, tinha cabelos brancos, era um pouco rechonchudo, de altura mediana, deveria ter uns 50 anos. Mas apesar da idade, era engraçado, fazia piadas 'atuais' que arrancava o riso de todos na classe e, como consequência, as duas primeiras aulas passaram voando.
 Assim que o sino tocou, minha amiga pulou de sua carteira e cochichou em meu ouvido "Precisamos conversar, agora!", me puxou pelo braço não deixando eu nem pegar meu lanche. Passamos pela sala, pelas minhas outras amigas que nos seguiram como se elas tivessem planejado tudo e fomos direto para um canto escondido que achamos na quadra.
 - Era sobre você que ele estava falando, certo? - minha amiga Sofia falou.
 - Ele quem? - disse inocentemente
 - Qualé Luci, pode contar para gente. Vai ficar em segredo. Eu vi que ele olhou para você quando ele estava falando. Desembrucha.
 Contei para elas o que aconteceu na sala. Não sei por que tanta vontade de saber, afinal ele poderia estar brincando, certo? Era o que ficou cutucando a minha cabeça o resto do dia.

Um comentário:

  1. Que bom que você gostou da ideia de continuar!!! Ai meu Deus é tão perfeito!!!

    ResponderExcluir

O que você achou dessa postagem? Deixe seu comentário!